O que é Thelema?

por T Polyphilus
Originalmente apresentado em 29 de março de 2008 e.v.
No VII Simpósio Thelemico na Loja Sekhet-Maat, Portland, Oregon

Afirmo que Thelema é antes de tudo a fórmula de desenvolvimento espiritual mais adequada às nossas circunstâncias culturais e históricas. Ela inclui uma filosofia que foi obtida por experiências que transcendem à razão; ela fornece uma base para a sagrada observância, que sincretiza os melhores elementos das chamadas "religiões do mundo." A meu ver, Thelema é mais cristão do que o cristianismo, e mais satânico do que satanismo.

O status de profeta delegado à Aleister Crowley é uma característica integrante de Thelema, e eu não tenho nenhum interesse em "resgatar" o movimento Thelemico a partir de sua figura fundadora, ou a intenção de ir "além" da sua influência. "Bênção e adoração ao profeta da adorável estrela!". Ao mesmo tempo, as virtudes do Profeta incluem a obviedade de suas deficiências: ele era um deus da mesma maneira que qualquer homem poderia ser. Thelema também teve outros importantes antecedentes literários e filosóficos na obra de figuras como Agostinho de Hipona, Francesco Colonna, Francois Rabelais, Sir Francis Dashwood, Friedrich Nietzsche e Anna Kingsford.

Desde que Thelema passou a se envolver no progresso iniciático de indivíduos, através de tarefas de realização espiritual, passaram a existir diferenças necessárias entre as interpretações exotéricas (de não-adeptos e aspirantes) por um lado e as perspectivas esotéricos (obtidas pela experiência iniciatica) de outro. No entanto, eu estou disposto a me ater a um conjunto breve de ensinamentos que considero como aquilo que é indispensável para Thelema, e que servem para torná-la tão distinta enquanto matriz religioso-filosófica. O primeiro destes é a importância da iniciação propriamente dita.

Crowley se refere ao evento de iniciação mais importante como "Conhecimento e Conversação do Sagrado Anjo Guardião", e ele identificou-o como o "próximo passo" para a humanidade. Esta realização envolve uma entidade que é, presumivelmente, única para cada individuo - o seu "gênio pessoal", um espírito que atende ao caráter mais fundamental do indivíduo ou Verdadeira Vontade. A frase "Conhecimento e Conversação" é uma tradução enganosa, e muitas vezes incompreendida. O “conversatio” Latina não significa diálogo ou discussão, mas sim um "modo de vida", associada especialmente com as ordens religiosas e os votos monásticos. Realização de "Conhecimento e Conversação" Assim, não é apenas um encontro com o "Deus do próprio universo pessoal", mas, na verdade, uma descoberta de conversão e do padrão idiossincrático de observância condizente com aquele ser que é definido por maior destino pessoal do aspirante.

Outra característica fundamental da doutrina Thelema é a síntese global. A este respeito, nós nos valemos de uma longa tradição que remonta à fusão Hermética clássica dos gregos com a sabedoria egípcia, o ideal Rosacruz de uma reforma geral para unir o Islã e o Cristianismo, e os esforços da Sociedade Teosófica para informar ocultismo europeu sobre o Budismo e outras tradições asiáticas. "Todas as palavras são sagradas e todos os profetas verdadeiros, salvo apenas que eles entendem um pouco". Tal síntese não é um mero ecletismo impulsionado por gostos superficiais e apetites de indivíduos e grupos locais. Todo o conhecimento que nos foi legado deve ser testado contra e integrado com os símbolos fundamentais dos ensinamentos de Thelema. As qualidades cosmopolitas e a dialética de Thelema a colocam em contraponto com aquelas escolas que enfatizam a "pureza" ou autenticidade primordial de seus ensinamentos.

E por falar em dialética, um elemento-chave de Thelema é a sua sagrada meta-narrativa da história humana, sob a figura simbólica da precessão dos equinócios. De acordo com nossos ensinamentos, a idade atual do mundo ou Aeon começou em 1904, e ainda está encontrando a sua plena expressão. Estamos, portanto, no mundo pós-apocalíptico pela perspectiva do velho aeon, sustentando que a velha ordem foi destruída pelo fogo há um século, e que é nossa responsabilidade fazer se manifeste o Aeon da Criança Coroada e Conquistadora, para o qual a Lei de Thelema é o princípio e plano. Em nossa opinião, a história não é nem uma degeneração de um paraíso original, nem um progresso em direção à perfeição estática de uma Nova Jerusalém. Mas nós afirmamos a existência de mudança em níveis suficientemente profundos para impactar a condição espiritual da humanidade como um todo.

Sem supor que eu tenha esgotado os componentes mais importantes da doutrina Thelêmica, a última observação que eu quero deixar é sobre a ideia da Magia. Em contraste com a maioria dos sistemas filosóficos e religiosos contemporâneos, Thelema considera como positiva a Magia como tal. A definição de Crowley para Magick é "A arte e a ciência de causar alterações em conformidade com a vontade", o que combina com a ideia de Thelema, que é "vontade" em grego. A psicologia agostiniana coloca a vontade como um dos três poderes fundamentais da alma, e a identifica com o desejo. As teorias de Crowley também destacam o papel do "elo mágico", um conceito pioneiro no trabalho do mártir renascentista Giordano Bruno, que delineou a base sexual das forças mágicas. Assim Thelema, sob a ideia controversa de Magick, avança o valor principal do desejo disciplinado, e - de certa forma - a fundação sexual de toda atividade humana e sua realização.

Link original:

Sem comentários: